Jeito Rebelde 3: Capítulo 14

Questão de Segundos

CENA I
Demi pegou o telefone e se aproximou de Arthur.
(Demi) Você tá bem? Se quiser, eu ligo para o serviço médico do hotel...
(Arthur) Você fez o quê com o Eduardo?
(Demi) Já te disse! Entreguei para o conselho tutelar!
Arthur se exaltou e segurou firme Demi pelos braços.
(Arthur) Como você tem coragem de fazer isso? Ele é o seu filho! Ele foi gerado dentro de você!
(Demi) E daí? Eu não quero ficar carregando essa criança como se fosse uma obrigação! Eu não o fiz sozinha!
(Arthur) Custava ter me ligado, sua louca? 
(Demi) Você tá me machucando!
(Arthur) Você ainda não viu nada!
(Demi) Hã?!
Arthur ameaçou apertar os braços delas, mas respirou fundo e a soltou.
(Arthur) Você vai pedir esse menino de volta!
(Demi) Claro que não! Você me expulsou daqui! Eu não vou levar o Eduardo comigo! E conselho tutelar não é um joguinho em que você mexe as peças como quiser! A criança entrou e não vai sair tão fácil assim!
(Arthur) Vamos ver! Liga para essa droga de lugar! Liga agora!
(Demi) Não! 
(Arthur) Eu vou ligar para a polícia então! Você não podia fazer isso sem o meu consentimento!
Arthur tirou o celular do bolso e discou o número da delegacia. Demi hesitou, mas tomou o celular dele.
(Arthur) O que você tá fazendo? Me dá isso aqui!
(Demi) Não... Quer dizer, não precisa ligar para a polícia. O Eduardo está com... está com uma amiga.
(Arthur) Hã?!
(Demi) Isso mesmo! Eu só queria te dar um susto! Você não sabe do que eu sou capaz, Arthur!
(Arthur) Nem você sabe do que eu sou capaz! Eu quero ver o meu filho agora!
(Demi) Ele não está muito perto!
(Arthur) Não me interessa! Dá o seu jeito! Liga para essa amiga e manda trazê-lo aqui! Eu preciso ter certeza que você não fez nada de mais com ele!
(Demi) Que horror, garoto! Eu não sou essa coisa má que você pensa!
(Arthur) Você não tem nem ideia do que eu penso! Liga agora!
(Demi) Affs! É melhor você sentar, porque vai demorar!
Arthur respirou fundo e apenas sentou depois que ouviu Demi conversando com a amiga.

CENA II
Ao ver Pablo, Rochi desviou de Gas e correu para abraçá-lo.
(Rochi) Pablo! Meu amor, você tá vivo!
(Pablo) Claro que eu tô vivo! [rsrs]
(Rochi) Ai, você não sabe como eu sofri, Pablo! Eu senti tanto a sua falta! Como você tá?
(Pablo) Eu estou melhor. Estava com o Peter.
(Rochi) Peter?! 
(Pablo) É, o que fugiu com aquela loirinha, ex-namorada do que foi preso.
(Rochi) Sei, sei. Você parece que não se alimentou muito bem. Está super magro!
(Pablo) É, depois eu vou te explicar tudo o que aconteceu.
(Rochi) Eu quero saber de tudo!
Rochi abraçou Pablo mais uma vez e o beijou. Gas se levantou e ficou meio sem jeito.
(Pablo) Gas!
Gas foi cumprimentar Pablo.
(Gas) Pablo! Você não sabe que alívio te ver aqui!
(Pablo) Nossa, quer dizer que todos pensavam que eu estava morto?!
(Rochi) Claro, né?! Você desapareceu do nada!
(Pablo) Bom, mas já estou aqui! Tá tudo bem com vocês?
(Rochi) Comigo está agora!
(Gas) Eu-...
(Rochi) Querido, tem que te mostrar algumas coisas que escrevi enquanto você ficou fora! Vem cá!
Rochi saiu puxando Pablo para o seu quarto.
(Gas) É, acho que sobrei...
Gas juntou suas coisas e foi embora.

CENA III
Lua e Euge desembarcaram na rodoviária da cidade.
(Lua) Enfim, de volta para casa!
(Euge) É, temos muita coisa para resolver aqui.
(Lua) Nem me fale! Mas a primeira coisa que eu quero fazer, eu preciso fazer, é ver o Arthur. Estou com tanta saudade dele!
(Euge) E eu tenho que procurar informações sobre o Peter...
(Lua) Vamos fazer o seguinte: você me acompanha até a casa do Arthur, eu converso com ele um pouquinho e aí a gente vai atrás do Peter.
(Euge) Não é melhor você ir sozinha? Eu não quer incomodar, Lua!
(Lua) Mas eu tenho medo do que pode acontecer! E se ele tiver desistido de me perdoar?
(Euge) Ai, Lua! Não pensei que você fosse tão insegura! 
(Lua) Não queria ser, mas sou! Fazer o quê, né?! Vamos?
(Euge) Tá, vamos!
Elas pegaram um táxi e foram para a casa de Arthur. Ao chegarem lá, Lua desceu apressada.
(Euge) Espera, Lua!
Euge correu e alcançou-a.
(Lua) Será que ele está?
(Euge) Ué, toca a campainha!
Lua tocou duas vezes e aguardou. Ninguém apareceu.
(Lua) Onde será que ele está?
(Euge) Lua, ele pode já ter ido dormir.
(Lua) Mas a noite acabou de começar!
(Euge) Não exagera! Já são quase dez da noite!
(Lua) Affs!
Lua tentou abrir a porta, mas estava trancada.
(Euge) Te falei! É melhor você mandar uma mensagem para ele e encontrá-lo amanhã.
(Lua) Eu queria ver ele hoje...
(Euge) Hoje não vai dar! Vamos que eu ainda vou passar na casa do Peter!
Euge e Lua voltaram para o táxi.

CENA IV
Demi e Arthur dividiam o sofá.
(Arthur) Affs...
(Demi) Eu te falei que era longe.
(Arthur) Onde fica o banheiro aqui?
(Demi) No final do corredor.
Arthur levantou e foi em direção ao corredor. Demi o seguiu com os olhos. Quando o perdeu de vista, voltou para o sofá e viu que ele tinha deixado o celular.
(Demi) Opa! 
Demi pegou o celular discretamente. Assim que tocou na tela, uma nova mensagem chegou.
(Demi) [lendo] Boa noite, lindo. Acabei de chegar, mas não consegui falar com você. A que horas podemos nos encontrar?
Demi certificou que Arthur ainda estava no banheiro e clicou em responder a mensagem.
(Demi) Vamos ver se o seu lindo te esperou esse tempo todo, bobinha! Em questão de segundos sua felicidade irá por água abaixo... [rsrs]
Demi pegou um cartão e conferiu o endereço do hotel.
(Demi) [digitando] Que saudade, linda! Estou tô doido para te ver. Me encontre no Hotel Sonolar, ao lado da estação central. Te espero às oito da manhã. Você vai ter a noite mais especial da sua vida!
Quando Demi ouviu Arthur saindo do banheiro, enviou a mensagem rapidamente e excluiu a que Lua tinha enviado.
(Arthur) E aí?
(Demi) Nada. Vou preparar alguma coisa para a gente beber enquanto espera.
(Arthur) Eu não quero nada!
(Demi) Não seja orgulhoso! Eu não vou te envenenar!
Demi foi para a cozinha.

CENA V
Ash e Drake tinham passado o dia todo na piscina. Depois de comerem uma pizza, foram para o quarto.
(Drake) Finalmente eu serei bem-vindo nesse quarto!
(Ash) [rsrs] Sempre!
Drake e Ash começaram a se beijar. Eles foram caminhando para a cama e Drake deitou sobre ela.
(Ash) O que você tá fazendo?
(Drake) Te amando!
Ele voltou a beijá-la. Os beijos saíram da boca e foram descendo pelo pescoço. Ash balançou os cabelos e Drake tirou a blusa.
(Drake) Você tá linda!
Ela sorriu e ele tirou a blusa dela lentamente. Ash se deixava levar enquanto Drake tomava as iniciativas. Depois de mais algumas carícias, ambos já estavam totalmente despidos.
(Ash) Eu te amo!
Drake encostou a boca no ouvido dela.
(Drake) [sussurrando] Eu te amo mais...
Ele deu uma leve mordida e ela sorriu de prazer. Os beijos ficaram mais intensos enquanto seus corpos tentavam ficar o mais próximo possível um do outro.
(Drake) Você acredita no amor?
(Ash) Sim...
(Drake) Tem noção do que ele é capaz de fazer com as pessoas?
(Ash) Acho que não...
(Drake) Somos dois. Vamos descobrir?
Ash afirmou com um sorriso e Drake a sentou em seu colo. Eles se abraçaram e se beijavam ao mesmo tempo. Depois de muito prazer, eles dormiram abraçados, cobertos por um lençol fino. O sol pela janela acordou Ash. Ao sentir os braços de Drake a abraçando, ela se virou para ele e acordou com um beijo.
(Ash) Bom dia!
(Drake) Bom dia...
(Ash) Obrigada. Foi lindo!
(Drake) Você foi linda!
Eles se beijaram apaixonadamente.

CENA VI
Poncho estava na mesa quando Peter entrou na cozinha.
(Poncho) Bom dia!
(Peter) [sentando de frente para ele] Bom dia!
(Poncho) Pãozinho quente, topa?
(Peter) Agora! Tô morto de fome!
(Poncho) E essa cueca?! Vai ficar com ela para sempre? [rsrs]
(Peter) Eu consegui falar com os meus pais. Eles deixaram minhas roupas na casa da vizinha.
(Poncho) E onde eles estão?
(Peter) Se mudaram para a minha terra natal. Não sei o motivo.
(Poncho) Humm... Se você quiser usar alguma roupa minha para ir até a casa dessa vizinha, fique a vontade.
(Peter) É, não vou poder recusar.
Eles ficaram um tempo em silêncio. 
(Poncho) O que você vai fazer depois?
(Peter) Ah, não sei ainda. Pensei em procurar a Euge, mas acho que ela não voltou para cá...
(Poncho) É, nós não temos notícias da Euge... Será que ela ainda tá na cidade que vocês foram juntos?
(Peter) Será?! As aulas na universidade já estão prestes a começar.
(Poncho) É, mais um semestre. Agora vai ser inevitável não encontrar com ela.
(Peter) Ela quem?
(Poncho) Annie... Minha ex.
(Peter) Vocês acabaram por que mesmo?
(Poncho) Porque descobrimos muitas diferenças. Principalmente para enfrentar os problemas.
(Peter) É... Foi tudo muito rápido?
(Poncho) Uma questão de segundos. Iríamos até casar!
(Peter) Você ainda gosta dela?
(Poncho) Demais... Só que não vou me render. Dessa vez é definitivo.
(Peter) Não perca tempo honrando seu orgulho, Poncho. Ele quase nunca está certo!
(Poncho) Eu sei... Mas eu não quero voltar atrás.
(Peter) Você quem sabe!

CENA VII
Annie e Rochi também tomavam café da manhã.
(Annie) Você tá toda sorridente, né?! Nem parece aquela garota iludida de alguns dias atrás... Mudou da água para o vinho em questão de segundos! [rsrs]
(Rochi) Claro! O Pablo está vivo, querida!
(Annie) Como é bom amar, né?!
(Rochi) Nem me fale! Eu descobri que estou realmente apaixonada pelo Pablo!
(Annie) Paixão é diferente de amor, amiga. 
(Rochi) Não importa! Sinto todos os sentimentos mais bonitos por ele! Ai, quando eu senti aquele cheirinho que só ele tem, eu queria agarrá-lo e fugir para um lugar bem longe com ele!
(Annie) E fazer o quê nesse lugar? [rsrs]
(Rochi) Annie! [rsrs]
(Annie) E o Gas?
(Rochi) Quê que tem?
(Annie) Ele já sabe que o Pablo tá de volta? Quer dizer, ele estava tão empenhado nessa busca, né?!
(Rochi) Eles se falaram... Mas eu não vi a hora que ele foi embora.
(Annie) Rochi, eu acho que você está dissimulando um pouco as coisas. 
(Rochi) Hã?!
(Annie) Ontem à noite eu vi o climão que vocês estavam e... e quase se beijaram.
Rochi se levantou da mesa e começou a levar sua xícara.
(Annie) Rochi, você não vai dizer nada?
(Rochi) Não tenho nada a dizer. Tenho que ligar para o Pablo!
Rochi secou as mãos e saiu.
(Annie) Pensa que me engana, né?! Vai pensando então.

CENA VIII
Lua saiu da estação central de metrô e avistou o hotel de longe.
(Lua) Aí está você! 
Ela apressou o passo até a recepção.
(Lua) Bom dia!
(Recepcionista) Bom dia!
(Lua) Eu gostaria de saber qual o número do quarto do Arthur Aguiar.
(Recepcionista) Só um momento.
A recepcionista digitou o nome no computador e encontrou o quarto no nome de Arthur.
(Recepcionista) É o 119, no quinto andar.
(Lua) Obrigada!
Lua pegou o elevador e subiu até o quarto. Quando chegou, bateu levemente na porta e tentou abri-la.
(Lua) "Calma, Lua! Muita calma! Em questão de segundos você vai poder abraçá-lo!"
A porta estava aberta. Ela fechou os olhos e encontrou no apartamento. Assim que fechou a porta, se virou e se assustou com o que viu. Demi e Arthur estavam dormindo juntos no sofá.
(Lua) Arthur...
Ao ouvir a voz de Lua, Arthur levantou assustado.
(Arthur) Lua!
Continua

1 comentários:

Taylor_OP disse...

Você recebeu um selinho: http://tayloroliver.blogspot.com.br/2013/02/novo-selinho.html